Nossos Princípios

Coletivo Trinca – Autônomo, Anticapitalista e Antiburocrático

Nossos Princípios:

I – Classismo – Como a Sociedade está dividida em exploradores e explorados, significa que nós, trabalhadores (mulheres, negros, gays, imigrantes, camponeses, desempregados, estudantes, e demais minorias), nos reconhecemos em nossa condição comum de explorados e lutamos contra todas as formas de exploração e opressão e por conseqüência pela superação do capitalismo. Objetivamos uma sociedade onde todos nós controlemos diretamente as nossas condições de vida – nossa própria atividade e os meios de produção. Desejamos reforçar nossa identidade enquanto classe trabalhadora, afirmando, assim, nosso direito à plenitude da vida e não mera sobrevivência, satisfazendo todas as nossas necessidades contra a ditadura de economia.

II – Solidariedade de Classe – Sendo a fragmentação dos trabalhadores a maior arma de dominação social, deve ser combatida, por meio de circulação de informações, troca de experiências, apoio mútuo entre lutas, estabelecimento de contato entre trabalhadores de diversos setores; superando as divisões corporativistas, salariais, regionalistas, culturais, étnicas, de gêneros, religiosas, etc.; permitindo a unificação prática das lutas para a transformação social, a partir de bases de acordo mínimas, superando os sectarismos.

III – Horizontalidade e Democracia Direta – A horizontalidade é a construção de relações coletivistas, solidárias e igualitárias, antagônicas a qualquer forma de hierarquia. Isso significa que todos os militantes devem ter acesso a todas a informações e tomar parte nas discussões e decisões do grupo. Busca-se o nivelamento da participação e o engajamento de todos. Para isso temos como instrumento a democracia direta, na qual assumimos critérios coletivos de delegação de tarefas e funções que permitam o controle sobre quem as exerce, acabando com a separação entre os que decidem e os que fazem, através, sempre que possível, da decisão por consenso, que exige diálogo entre tod@s. Quando esta não for possível, recorreremos à votação por maioria simples, registrando a posição da minoria para posterior avaliação.

IV – Autonomia e independência de classe – Lutamos pela auto-organização dos trabalhadores com independência de classe em relação a governos, empresas, patrões, partidos políticos, religiões, burocracias sindicais, etc. Isso implica ter auto-determinação, utilizando como prática a auto-gestão. Do mesmo modo, a questão da independência de classe pressupõe o apartidarismo.

Anúncios